Recomendação de filme

Resenha do filme: Soul

Em clima de premiações, hoje eu vim trazer o que eu achei do filme Soul da Pixar. O filme conta a história do Joe Gardner e da 22, uma alma que não quer ir para a Terra. O longa foi muito comparado com filmes como Divertida Mente e Viva: A Vida é uma Festa, porque é uma animação com uma enorme reflexão sobre a vida. 

Pete Docter e Kemp Powers, 2020
Animação
1h40min
Disney+
⭐⭐⭐⭐♥️

Joe é o primeiro protagonista negro da Pixar. Ele é um professor de música infeliz, que sonha em tocar jazz para um público que não seja formado majoritariamente por crianças. E, no dia que ele tem a chance da sua vida… Ele cai no pré-vida, lugar onde as almas se preparam para irem para a Terra.

O filme é engraçado, emocionante e ganhou o Globo de Ouro de melhor animação. Ele me tocou em vários momentos, principalmente quando as almas se perdem (no bom e no mau sentido). Além disso, o amor à música também está presente e é apresentado de uma forma muito linda, mas não é o foco principal da narrativa.

Soul é o tipo de filme que é recomendado tanto para crianças quanto para adultos, porque ao mesmo tempo que é engraçado e divertido, ele traz umas reflexões muito interessantes sobre a vida.

Você tá perdendo as coisas boas da vida, tipo… pizza!”

Joe

Nós vamos ver como as almas se formam antes de virem para a Terra, por isso, o filme discute muito sobre os sonhos, propósito de vida e personalidade. O filme segue um ritmo simples, mas poético. Recomendo que assista com bastante atenção.

Falando agora com spoilers, eu achei a mensagem do filme muito linda, porque a 22 só se sente realmente pronta para ir para a Terra quando de fato vai para ela (no corpo do Joe, enquanto ele está no corpo do gatinho) e vê que apesar de parecer monótona, a vida pode ser bonita e você pode fazer coisas muito legais como comer uma boa pizza. Ou seja, na realidade o que estávamos pensando o filme inteiro que ia ser um propósito, uma razão para a alma ir para a Terra, na verdade era a vontade de viver e conhecer o mundo dos humanos. E Joe depois dessa experiência toda, percebe que enquanto buscava por seu sonho, acabou preso na sua rotina, sempre esperando uma chance e se esquece de viver o que de fato era importante.

Por hoje é só! Me conta: o filme te marcou? Te tocou de alguma forma? Bora papear (ou filosofar sobre a vida)!

PS: Você gosta de cinema? O crítico de cinema Inácio Araújo está com um curso 100% online completo sobre História do Cinema! Saiba mais clicando aqui.

4 comentários em “Resenha do filme: Soul”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s